Ai de ti, Itaquerão.

Que fique bem claro que nada tenho contra o Corinthians ou contra os corintianos, muito pelo contrário. Até nutro certa simpatia pelo time do Parque São Jorge e seus muitos seguidores. Por ser Flamenguista, sei muito bem o que é ser odiado por muitos e invejado por todos.

A questão é outra.

Simplesmente não posso deixar de manifestar meu contentamento com a eliminação precoce da equipe alvinegra da Liberta, ocorrida na noite de ontem, no funesto estádio apodado Itaquerão, o qual, pra ser sincero, nem sei o verdadeiro nome.

Se fosse no Pacaembu, Morumbi ou qualquer outra praça esportiva, talvez fosse solidário aos milhões de alvinegros que foram dormir(ou tentar) de cabeça inchada. Ser eliminado em casa pelo Guarani do Paraguai não deve ser fácil.

Mas como foi no Itaquerão, azar o deles.

Explico: A tal peça de concreto e aço, que se assemelha a uma imensa impressora, representa, em parte, o que há de mais podre e desprezível no Brasil de hoje. O Governo petralha.

O tal estádio me faz lembrar as obras faraônicas construídas por ditadorezinhos africanos, ou “cucarachas”, via de regra comunistas, para saciar o ego eternamente inflado e carente de recursos não-contabilizados em suas contas bancárias na Suíça.

Senão vejamos: em qual país sério se construiu um estádio às pressas, sem licitação, com valores superfaturados, para satisfazer o(s) desejo(s) pessoal(is) de um presidente populista, torcedor fanático do clube beneficiado, com recursos públicos e a fundo perdido, cuja obra foi convenientemente entregue a uma empreiteira que faz doações milionárias, desde sempre, ao partido governista?

Sem resposta, eu sei.

O Universo conspira, amigos. O tal estadiozinho já foi palco de dois revezes traumáticos para os lombos corintianos: A semi do paulista, em que o Corinthians foi eliminado por seu arquirrival, o Palmeiras, e a humilhante derrota de ontem.

Os alvinegros não tem nada com isso, admito, mas aquele concreto em que sentam foi construído à custa de milhões de escolas, ambulâncias, creches e asilos.

Amaldiçoado está desde suas fundações, Itaquerão.

Ai de ti. Ai de nós.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s